Aprenda como fazer sua Monografia Alienacao Parental

O último passo para a conclusão da graduação, seu TCC!

Escrever um trabalho de conclusão de curso é um trabalho com certeza muito árduo e de difícil cumprimento. Neste momento, toda ajuda de família e amigos é crucial, ainda mais quando estamos falando de uma formação acadêmica na área de direito. Digo isto porque o momento de apresentação do seu trabalho monográfico normalmente coincide com o momento em que o aluno se vê na iminência do temido ‘exame da ordem’, prova que determinará se aquele aluno que está se formando em direito possui ou não as atribuições mínimas necessárias e requeridas para o desenvolvimento da atividade da advocacia.

O que acontece, no entanto, é que você, aluno que já chegou nesta altura da corrida, que já nadou tanto e está tão perto da praia, não pode pensar em desistir agora e, se neste momento, ao refletir acerca dos assuntos mais interessantes para abordar neste momento da sua vida para ser objeto da sua pesquisa monográfica, concluiu que seria boa ideia fazer Monografia Alienacao Parental, saiba que fez uma excelente escolha de tema pois a recorrência do mesmo de modo algum exauriu a quantidade de coisas que podem e devem ser ditas por meio de trabalhos científicos acerca desta matéria relacionada de forma tão direta com o direito de família.

Se você está aqui lendo este artigo é porque fez a inteligente opção de falar sobre este tema que é tão caro ao universo do direito civilista, por este motivo apresentaremos para você algumas noções extremamente relevantes acerca do assunto. A síndrome da alienação parental consubstancia-se em nada mais nada menos do que uma conduta dos pais/genitores, eventualmente avós e até mesmo, em casos mais extremos, de novos parceiros daqueles pais, também chamados de genitores (podendo, no entanto, ser praticada por todo aquele que exerce junto ao menor autoridade de qualquer natureza) de “fazer a cabeça” daquela criança ou adolescente, incutindo e enfiando pensamentos e conceitos que vão contra o outro genitor. Isso pode se dar voluntaria ou involuntariamente, o que pode também dificultar o convívio familiar, o que – em qualquer caso – precisará ser evitado, concertado e submetido – eventualmente – a um tratamento que seja acompanhado por profissionais da área de assistência social e psicologia. Anote-se, portanto, que, como dito, todo aquele que exerce a guarda ou vigilância do menor poderá – conforme a conduta - cometer e ser responsabilizado por essa conduta que – conforme o caso – caracterizará crime.

O suporte legal e fundamentação constitucional para escrever monografia sobre o assunto

O assunto em tela é tão importante que os congressistas editaram lei específica para tratar do assunto, trata-se da Lei nº 12.318/2010. Esta lei, específica para tratar de alienação parental, no seu art. 2º, traz um rol considerado exemplificativo, o que implica dizer ‘não se exaure em si mesmo’ de condutas que potencialmente caracterizam a alienação parental, das quais são exemplos:

  • impedir que o genitor veja o filho no dia designado pelo juiz;
  • o detentor da guarda mudar-se para cidade distante sem autorização do outro genitor ou judicial;
  • falar mal do outro durante o período de visitação do menor;
  • a apresentação de denúncias inverídicas em face do pai ou da mãe, em face de familiares deste ou - ainda pior - contra avós paternos ou maternos, para obstaculizar ou dificultar a convivência deles com a prole.

Além da caracterização em decorrência de condutas como as acima elencadas é preciso ter em mente que até mesmo o famoso “me conta tudo o que está acontecendo com seu papai, se está envolvido emocionalmente e sexualmente com alguém ou namorando, como é exatamente a casa dele, ele adquiriu com rapidez tudo o que você solicitou a ele…” pode ser considerada uma forma de exercer uma conduta temerária de alienação parental.

A sua Monografia Alienacao Parental deverá também mencionar que – via de regra - esta síndrome infelizmente resulta separações e divórcios complicados, pois – nestes casos - os pais têm dificuldade de separar os aspectos da conjugalidade que diz respeito ao casal que deixou de existir, dos aspectos relacionados mais diretamente com a parentalidade que, não por acaso, é para sempre (relação entre pais e filhos).

A alienação parental como matéria para trabalho monográfico no século XXI

Para você que leu este artigo até aqui e pretende mesmo escrever um trabalho sobre este assunto, elencamos uma série de informações que certamente hão de te ajudar a estruturar de forma eficiente o seu trabalho. Tais informações te ajudarão também a tornar este trabalho mais completo, garantindo assim uma nota de lhe será satisfatória dada a dificuldade do tema em comento. As estatísticas relacionadas ao assunto em questão demonstram que a maior parte dos filhos de pais divorciados sofrem ou em algum momento de suas vidas já sofreram/foram vítimas de alienação parental. Há que se ter em mente, no entanto, que a alienação por ser praticada ainda que durante o casamento, a única diferença é que – neste último caso – a constatação do problema em comento é ainda mais difícil. Alguns detalhes que você não pode deixar de citar no seu trabalho são:

  • Além da previsão de proteção que encontramos em nível constitucional, sabemos que o congresso nacional resolveu trabalhar de maneira ainda melhor a questão da proteção do menor e editou norma legal que passou a regulamentar com uma quantidade de matéria que vai além da mera apresentação de princípios balizadores.
  • A alienação parental se tornou objeto de lei específica a partir do fim da primeira década dos anos dois mil, ou seja, do ano de 2010, ocorre que – como você provavelmente já sabe, a alienação é uma moléstia conhecida há tempos.
  • Este problema apenas recentemente passou a ser objeto de discussão mais ampla na sociedade brasileira, bem como seus efeitos em nosso ordenamento jurídico, que, por sua vez, vem - de maneira muitíssimo acertada e feliz - firmando, cada vez mais, a sociedade que decorre do casamento e as questões de natureza filial, objetivando tanto quanto possível a parentalidade responsável.

O assunto é muitíssimo interessante e temos vários profissionais aptos e capazes de te ajudar com quaisquer questões que você possa eventualmente ter sobre o assunto. Não seja um profissional medíocre, se você é capaz de fazer mais e ir além. Este trabalho poderá futuramente ser utilizado em pesquisas mais avançadas, por isso digo que estaremos aqui para lhe ser útil e ajudar alcançar o seu sucesso profissional com brilhantismo e inteligência. Conte conosco!