Aprenda da melhor forma a como fazer um estudo de caso

Como fazer um estudo de caso do tipo certo

O modelo/sistema de redação e produção científica baseado em estudos de caso constitui uma modalidade que se tem revelado muitíssimo efetiva para a criação de conhecimento científico nas universidades e instituições de ensino em todo o país, mas mesmo a metodologia em tela se divide em mais de um tipo de projeto, e há necessidade de o aluno que esteja planejando fazer uso desta ferramenta, que preste atenção neste detalhe para que possa elaborar uma pesquisa com informações mais acuradas e valendo-se de um modelo científico que é de fato o mais apropriado para aquela tarefa objeto do estudo.

Sinteticamente, portanto, a utilização do modelo referenciado neste artigo pressupõe as considerações sobre um caso, como o próprio indica, por exemplo, da implementação de um modelo de gestão gerencial e administrativa desenvolvido recentemente e que esteja, porventura, sendo testado em uma empresa específica. O aluno trabalhará com estes dados, tentando deitá-los no papel e organizá-los de forma a tornar possível que seja feita uma leitura científica do resultado e verificada a possível replicação daquele estudo, através – por exemplo – da possibilidade de aplicação daquela mesma metodologia de gerência e administração em uma empresa e gerar, eventualmente, a possibilidade de aferir se há a possibilidade de obter os mesmos resultados se o aplicador controlar as variáveis do mesmo modo que tenha sido feito no trabalho experimental, ou seja, no caso específico utilizado como referência no desenvolvimento da pesquisa, saberemos assim como fazer um estudo de caso da maneira correta.

Os tipos de projeto possíveis para o modelo estudo de caso

Ao se decidir pelo sistema do estudo de caso é preciso fazer a seguinte diferenciação:

  • O trabalho será com base de caso único (também chamado de holístico ou de incorporado);
  • Ou se será uma pesquisa de casos múltiplos?

Essa escolha deve ser feita de maneira bastante refletida pois pode influenciar sobremaneira o resultado final da atividade de iniciação científica. Deste modo, o caso selecionado será absolutamente decisivo (e bem representativo) para demonstrar e fazer prova de uma teoria bem formulada? Esta é uma pergunta que precisará de resposta:

  • Será necessário, se for o caso da opção pelo formato de caso único, que se analise se o caso selecionado pode ou consegue determinar tal proposição para julgar se ela está correta?
  • O caso escolhido se trata de um caso raro ou extremo, com algo de singular? (por exemplo como aqueles em que observamos nos estudos de caso feitos por alunos de psicologia clínica?)
  • Há algo de revelador no caso pinçado?

Por último, antes de fazer a opção definitiva por este ou aquele modelo de pesquisa, convém observar se o caso pinçado será um caso único ou se ele já foi eventualmente pesquisado por outras pessoas em contextos diversos, respondidas essas perguntas saberemos como fazer um estudo de caso perfeito para as suas necessidades.

Um bom orientador para um bom orientar um bom trabalho

Tendo feito a opção do sistema de pesquisa observando os detalhes acima expostos, será a hora de determinar quem será o seu orientador para realização desta tarefa, e ele deverá – na grande maioria das vezes – ser um dos professores que compõem o corpo docente da instituição de ensino onde você se encontra matriculado.

A escolha do orientador demanda grande atenção pois pode significar o sucesso ou insucesso da sua empreitada. É claro que é importante que haja uma identificação entre o aluno e o professor. Ocorre que, mais importante do que a afinidade, é necessário que o universitário escolha um professor que tenha familiaridade com o tema.

Escolher um docente orientador baseado apenas e tão somente na boa relação que você tem com o professor não é nem de longe o que se indica. Mesmo que o estudante não tenha uma relação que possamos considera próxima com o orientador, é necessário observar que ao longo da pesquisa essa interação eventualmente surgirá, tenhamos em mente, no entanto, que o essencial mesmo é que o educador tenha domínio sobre o tema escolhido pelo aluno, não há segredo, portanto, sobre como fazer um estudo de caso.