O ensaio da Economia do País da América do Sul

Introdução

Este artigo está preocupado com a consideração econômica de um dos países da América do Sul e analisa o impacto de uma preocupação econômica nesse país sul-americano particular que foi escolhido e identifica a tendência da preocupação econômica em região determinada na A base dos conjuntos de dados se acumulam a partir da fonte. Os países da América do Sul têm um grande impacto na economia americana e a preocupação econômica de um país importante elevar nosso conhecimento sobre a tendência econômica nesse país em particular e seu impacto na economia geral também.

País da América do Sul

A economia da América do Sul é composta por doze nações com três territórios e compõem 6% da população no mundo. Eu escolho o Brasil entre outros países da América do Sul, já que o Brasil é o maior país da América do Sul e

O Brasil é uma das economias de mais rápido crescimento do mundo. Está classificado no quinto lugar no mundo em relação à região populacional e geográfica e a quinta maior economia em relação ao PIB no mundo. A preocupação econômica do Brasil contribui efetivamente para a economia mundial e uma tendência interessante da economia pode ser vista. (Abreu, 2005).

Preocupação econômica

Entre quatro questões econômicas, incluindo o PIB, quantidades específicas de

Produtos e serviços domésticos brutos Produto Interno Acirc; (PIB), e inflação de desemprego eu selecionei a inflação. A inflação é uma preocupação econômica importante que afetará a economia em grande extensão e a taxa de inflação de uma economia do país é um indicador importante para uma perspectiva de crescimento do país. A inflação significa aumentar no nível geral de preços do país e perder o valor real do dinheiro à medida que menos commodities serão compradas com cada unidade de moeda adicional.

Calculadora de precios

Nós temos os melhores preços, confira!

data limite
Páginas
~ 550 palavras
Nosso Preço
R$ 0
Preço dos concorrentes
R$ 0

A inflação se relaciona diretamente com a produtividade econômica e tem efeitos positivos e negativos na economia, pois cria incertezas econômicas que podem desencorajar a poupança e o investimento. Os preços elevados das commodities gerais e do acúmulo serão a sua maior desvantagem. Em sentido positivo, pode incentivar o investimento não monetário. Mas a taxa de inflação precisa ser controlada para sustentar a economia do país.

Tendência de inflação no Brasil

A taxa de inflação no Brasil está flutuando ao longo dos anos. Nenhuma tendência consistente pode ser observada na taxa de inflação. Os dados do ano anterior sustentam essa suposição. De acordo com os dados exibidos por (IPCA) em 2002, a taxa de inflação foi de 12,53%, uma taxa bastante alta. Em seguida, a tendência decrescente da taxa de inflação pode ser vista na economia brasileira, como 9,3% em 2003, 7,6% em 2004, 5,69% em 2005 e 3,14% em 2006, o que é menor nesta década. Então, a ligeira tendência de aumento pode ser observada na taxa de inflação. 4,46% podem ser observados em 2007 e 5,91 em 2008. A tendência flutuante pode ser observada nessa faixa nos próximos anos também. (Tabela estatística de inflação)

Exemplo de pedidos concluídos

Tabela estatística

Inflação (IPCA)

2002

12,53%

2003

9,30%

2004

7,60%

2005

5,69%

2006

3,14%

2007

4,46%

2008

5,91%

Últimos dois anos Tendência de inflação

A tendência da taxa de inflação mensal passada de dois anos pode ser vista a partir deste gráfico que mostra a freqüência mensal da taxa de inflação. As barras do gráfico mostram a tendência da inflação a partir do ano de 2011 que é de 6,01%. O declive crescente pode ser visto de março de 2011 até outubro de 2011. A taxa de inflação no mês de outubro é a maior que é de 7,31%. Em seguida, a implementação do controle sobre a tendência de aumento da inflação pode ser vista de 7,31% para a taxa baixa profunda em 4,92% em julho de 2012, que é complementada com a economia brasileira. O Trent ascendente em bases semi-anuais pode ser visto na economia brasileira. A última taxa de inflação registrada de 6,15% é bastante alta. A taxa de inflação do governo do Brasil é de 4,5% com a margem de tolerância positiva e negativa de 2% nele. A alta tendência da inflação é uma consideração importante para o governo, uma vez que o aumento da taxa de inflação afeta a economia em raízes profundas e dificulta o investimento e a poupança. O poder de compra das pessoas será efetuado que afetará seu padrão de vida e se entregará ao nível de pobreza no país, pois as commodities serão difíceis de comprar com ainda mais dinheiro na mão porque, devido à inflação, o país perderá seu valor de dinheiro real. (De Paiva Abreu, 2005).

Lista de seções

De acordo com o relatório do IBGE, é registrado a partir de 1980, a tendência de inflação no Brasil passou por várias flutuações. Os dados históricos mostram uma média de 411,8% da taxa de inflação do Brasil que atingiu a taxa de inflação mais alta de 6821,3% em abril de 1990, que foi a maior taxa de todos os tempos. A baixa taxa de inflação de 1,7% foi encontrada em dezembro de 1998. A medida usada para calcular a inflação é o índice de preços ao consumidor. Brasil contribuição importante no índice de preços ao consumidor são tabaco, alimentos e álcool que cobre 31% do total, 15 por cento pelo setor de transporte e a comunicação carrega 5%. . (Taxa de inflação do Brasil)

Evidência estatística comparando a taxa de inflação de vários países

Taxa de inflação de vários países está mostrando a elevada taxa de inflação do Brasil em comparação com outros países, exceto a Índia, que possui a taxa de inflação de 6,62. Uma tendência crescente é bastante ameaçadora para o governo brasileiro quanto ao crescimento econômico e requer uma consideração próxima para controlar a taxa no futuro, a fim de estabilizar a economia.

ECONOMIAS SUPERIORES

Último

Anterior

Maior

Menor

Unidade

Referência

Freqüência

Gráfico

Austrália

2.20

2.00

23.90

-1.30

Porcentagem

Dez/2012

Trimestral

Brasil

6.15

5.84

6821.31

1,65

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Canadá

0,50

0,80

21.60

-17.80

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

China

2.00

2.50

28.40

-2,20

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Área do euro

2.00

2.20

5.00

-0.70

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

França

1.20

1.30

18.80

-0.70

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Alemanha

1,70

2.00

11.40

-7.63

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Índia

6.62

7.18

34.68

-11.31

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Indonésia

4.57

4.30

82.40

-1,17

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Itália

2.20

2.31

25.64

-2,44

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Japão

-0,10

-0,20

25,00

-2.52

Porcentagem

Dez/2012

Mensal

Nova Zelândia

0,90

0,80

44,00

-15.30

Porcentagem

Dez/2012

Trimestral

Rússia

7.10

6.60

2333.30

3.60

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Coreia do Sul

1.50

1.40

32.51

0,17

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Espanha

2,68

2.87

28.43

-1.37

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Suíça

-0.30

-0.40

11.92

-1.37

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Turquia

7.31

6.16

138.71

-4.01

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Reino Unido

2.70

2.70

8.50

0,50

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Estados Unidos

1.60

1,70

23.70

-15.80

Porcentagem

janeiro/2013

Mensal

Conclusão

A taxa de inflação e a estabilidade econômica estão intimamente relacionadas e requerem uma preocupação próxima para estabilizar a economia. A tendência crescente do Brasil provoca a ameaça de suas preocupações futuras e mostra que o governo precisa considerar este regime de forma a estabilizar a economia e alcançar o crescimento econômico no mundo.